quarta-feira, 31 de maio de 2017

SESSÃO SAUDADE - KID VINIL

Há certas pessoas que transpiram alegria onde quer que estejam. É o caso de nosso homenageado da semana: Kid Vinil.
Com suas músicas bem humoradas, que continuam a ser lembradas até hoje, ele alegrou a turma dos anos 80, juntamente com seu grupo musical Magazine.
Obrigado, Kid Vinil, por ter, durante anos, alegrado nossa vida com suas canções!
Descanse em paz!
Para saber mais sobre esse artista, favor acessar: https://pt.wikipedia.org/wiki/Kid_Vinil.
Com o objetivo de homenageá-lo, reproduzimos abaixo vídeos de três de seus sucessos: Sou Boy, Tic Tic Nervoso e Comeu.

PRIMEIRO VÍDEO

video


LETRA

SOU BOY

Acordo sete horas tomo ônibus lotado
Entro oito e meia eu chego sempre atrasado
Sou boy, eu sou boy, sou boy, boy, sou boy

Atento oito e meia eu tenho que bater o cartão
Mal piso na firma tem serviço de montão
Eu sou boy, eu sou boy, eu sou boy, boy, eu sou boy

Ando pela rua pago conta, pego fila
Vou tirar xerox e batalho algumas pila
Sou boy, eu sou boy, eu sou boy, boy, eu sou boy

Na hora do almoço a minha fome é de leão
Abro a marmita e o que vejo? Feijão!
Chega o fim do mês com toda aquela euforia
Todos ganham bem e eu aquela mixaria
Sou boy, eu sou boy, eu sou boy, eu sou boy

E logo chega a tarde estou com pressa de ir embora
Meus pés estão doendo e os meus calos estão pra fora
Sou boy, eu sou boy, eu sou boy, boy, eu sou boy

Bate cinco e meia acerto em filas infinitas
Ônibus lotado cai da mala minha marmita
Sou boy, eu sou boy, eu sou boy, boy, eu sou boy


SEGUNDO VÍDEO

video


LETRA

TIC TIC NERVOSO

Estou preso no trânsito com pouca gasolina,
O calor tá de rachar e lá fora é só buzina.
Perdi o meu emprego, que já era mixaria,
E ontem fui assaltado em plena luz do dia!

Isso me dá tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.
Isso me dá tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.

Quando chego em casa é aquela baixaria:
As contas estão vencidas e a geladeira tá vazia!
Encontro uma garota, um tremendo avião,
pergunto o seu nome ela me diz que é João!

Isso me dá tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.
Isso me dá tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.

Eu sempre me achei um rapaz formal,
Que esse papo de analista fosse coisa pra boçal,
agora me chamam, dizem que eu fico um sujeito atrapalhado,
só pelo meu jeito torcido assim do lado!

É que eu fiquei com tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.
É que eu fiquei com tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.

Estou preso no trânsito com pouca gasolina,
o calor tá de rachar e lá fora é só buzina.
Antigamente todos tinham esperança de vencer
E acontece que hoje em dia não dá mais pra se viver!

Viver sem ter tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso,
Viver sem ter tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.

Viver sem ter tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.
Isso me dá tic tic nervoso,
Tic tic nervoso, tic tic nervoso.


TERCEIRO VÍDEO

video


LETRA

COMEU

Ela comeu meu coração
Trincou, mordeu, mastigou, engoliu, comeu
Comeu
Ela comeu meu coração
Mascou, moeu, triturou, deglutiu, comeu
Comeu

Ela comeu meu coração de galinha no xinxim
Ai de mim!
Ela comeu meu coração de leão naquele sonho medonho
E ainda me disse que é assim que se faz
Um grande poeta

Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão
Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão

Mas ela não entendeu minha intenção
Tragou, dissolveu, degustou, digeriu
Comeu

Ela comeu meu coração
Trincou, mordeu, mastigou, engoliu, comeu
Comeu
Ela comeu meu coração
Mascou, moeu, triturou, deglutiu, comeu
Comeu

Ela comeu meu coração de galinha no xinxim
Ai de mim!
Ela comeu meu coração de leão naquele sonho medonho
E ainda me disse que é assim que se faz
Um grande poeta

Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão
Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão

Mas ela não entendeu minha intenção
Tragou, dissolveu, degustou, digeriu
Comeu
Mas ela não entendeu minha intenção
Tragou, dissolveu, degustou, digeriu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu-meu-meu-meu-meu
Comeu-meu-meu-meu-meu
Comeu-meu-meu-meu-meu
Comeu

SESSÃO HUMOR

A mãe de Paulinho entra subitamente na cozinha, e o pega, em cima de uma cadeira, todo esticado, tentando tirar chocolates de dentro do armário, para comer escondido.
Ela, então, exclama com surpresa:
- Francamente, Paulinho! Estou surpresa em encontrá-lo aqui!
- Pois saiba que eu estou muito mais! - responde Paulinho - Eu jurava que a senhora tinha saído!

terça-feira, 30 de maio de 2017

SESSÃO REMAKE MUSICAL - I LOVE YOU FOR ALL SEASONS - BLOODSTONE

A canção I Love You For All Seasons, originalmente interpretada por The Fuzz, é apresentada no vídeo abaixo por Bloodstone.
Boa diversão!

video


LETRA

I LOVE YOU FOR ALL SEASONS

I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons

First of all, I love you with the freshness of a spring day
Then I love you with hot passions like the summer sun
When June's here to stay
I don't know how to explain my love's seasonal change
It seems never the same, all I know is

I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons

I love you with the gentleness of a falling leaf on an autumn day
But most of all, I love you with the briskness of a winter
When the snows come out to stay
I don't know how to explain my love's seasonal change
It seems never the same, all I know is

I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons

(Autumn, summer, winter, springtime)
I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons


TRADUÇÃO

EU TE AMO EM TODAS AS ESTAÇÕES

Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

Primeiro de tudo, eu te amo com a frescura de um dia de primavera
Então eu te amo com paixões quentes como o sol do verão
Quando junho está aqui para ficar
Eu não sei como explicar a mudança sazonal do meu amor
Nunca parece o mesmo, é tudo que eu sei

Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

Eu te amo com a gentileza de uma folha caindo em um dia de outono
Mas acima de tudo, eu te amo com a vivacidade de um inverno
Quando as neves vêm para ficar
Eu não sei como explicar a mudança sazonal do meu amor
Nunca parece o mesmo, é tudo que eu sei

Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

(Outono, verão, inverno, primavera)
Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

SESSÃO TÚNEL DO TEMPO MUSICAL - I LOVE YOU FOR ALL SEASONS - THE FUZZ

A canção I Love You For All Seasons, interpretada por The Fuzz, fez parte da trilha sonora da novela O Cafona, apresentada pela Rede Globo no horário das 22h de 24 de março a 29 de outubro de 1971.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/o-cafona/.
Boa diversão!

video


LETRA

I LOVE YOU FOR ALL SEASONS

I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons

First of all, I love you with the freshness of a spring day
Then I love you with hot passions like the summer sun
When June's here to stay
I don't know how to explain my love's seasonal change
It seems never the same, all I know is

I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons

I love you with the gentleness of a falling leaf on an autumn day
But most of all, I love you with the briskness of a winter
When the snows come out to stay
I don't know how to explain my love's seasonal change
It seems never the same, all I know is

I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons

(Autumn, summer, winter, springtime)
I love you for so many reasons
Which means I love you for all seasons


TRADUÇÃO

EU TE AMO EM TODAS AS ESTAÇÕES

Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

Primeiro de tudo, eu te amo com a frescura de um dia de primavera
Então eu te amo com paixões quentes como o sol do verão
Quando junho está aqui para ficar
Eu não sei como explicar a mudança sazonal do meu amor
Nunca parece o mesmo, é tudo que eu sei

Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

Eu te amo com a gentileza de uma folha caindo em um dia de outono
Mas acima de tudo, eu te amo com a vivacidade de um inverno
Quando as neves vêm para ficar
Eu não sei como explicar a mudança sazonal do meu amor
Nunca parece o mesmo, é tudo que eu sei

Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

(Outono, verão, inverno, primavera)
Eu te amo por muitas razões
O que significa que eu te amo em todas as estações

segunda-feira, 29 de maio de 2017

SESSÃO RETRÔ - VARIEDADES - MARCOS PAULO

A reportagem abaixo foi publicada na revista Sétimo Céu – Série Amor nr. 26, publicada em 15 de novembro de 1974.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa diversão!





SESSÃO RETRÔ - NOVELAS - VITÓRIA BONELLI - DÉCIMA QUINTA PARTE

A reportagem abaixo é parte da revista Momentos Maravilhosos de Vitória Bonelli, publicada em 1973.
A novela Vitória Bonelli foi apresentada pela Rede Tupi no horário das 19h de 13 de setembro de 1972 a 14 de julho de 1973.
Para saber mais sobre essa novela, favor consultar: http://www.teledramaturgia.com.br/vitoria-bonelli/.
Na semana que vem tem mais!
Acompanhem!
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!



sábado, 27 de maio de 2017

PARA MEDITAR


SESSÃO FOTONOVELA - AGORA SEREMOS FELIZES

A fotonovela abaixo pertence à revista Sétimo Céu – Série Amor nr. 26, publicada em 15 de novembro de 1974.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!



















sexta-feira, 26 de maio de 2017

SESSÃO CAPAS E PÔSTERES

A capa e o pôster pertencem à revista Sétimo Céu – Série Amor nr. 26, publicada em 15 de novembro de 1974.
Boa diversão!



SESSÃO FOTO QUIZ

A foto da semana passada pertence ao cantor e compositor Guilherme Arantes.
Agora tentem descobrir quem é a garota da foto.
Eis algumas pistas:
1) Esta cantora, compositora e atriz, já falecida, nasceu na capital carioca no ano de 1936.
2) Seu primeiro disco saiu no ano de 1956.
3) Sua vida foi contada em uma minissérie de televisão.
Boa diversão!


quinta-feira, 25 de maio de 2017

SESSÃO LEITURA - EDMUNDO, O CÉPTICO - CECÍLIA MEIRELES

O texto abaixo é de autoria de Cecília Meireles.
Para maiores informações sobre a autora, favor acessar: https://pensador.uol.com.br/autor/cecilia_meireles/biografia/.
Boa leitura!

EDMUNDO, O CÉPTICO

Naquele tempo, nós não sabíamos o que fosse cepticismo. Mas Edmundo era céptico. As pessoas aborreciam-se e chamavam-no de teimoso. Era uma grande injustiça e uma definição errada.
Ele queria quebrar com os dentes os caroços de ameixa, para chupar um melzinho que há lá dentro. As pessoas diziam-lhe que os caroços eram mais duros que os seus dentes. Ele quebrou os dentes com a verificação. Mas verificou. E nós todos aprendemos à sua custa. (O cepticismo também tem o seu valor!)
Disseram-lhe que, mergulhando de cabeça na pipa d’água do quintal, podia morrer afogado. Não se assustou com a ideia da morte: queria saber é se lhe diziam a verdade. E só não morreu porque o jardineiro andava perto.
Na lição de catecismo, quando lhe disseram que os sábios desprezam os bens deste mundo, ele perguntou lá do fundo da sala: “E o rei Salomão?” Foi preciso a professora fazer uma conferência sobre o assunto; e ele não saiu convencido. Dizia: “Só vendo.” E em certas ocasiões, depois de lhe mostrarem tudo o que queria ver, ainda duvidava. “Talvez eu não tenha visto direito. Eles sempre atrapalham.” (Eles eram os adultos.)
Edmundo foi aluno muito difícil. Até os colegas perdiam a paciência com as suas dúvidas. Alguém devia ter tentado enganá-lo, um dia, para que ele assim desconfiasse de tudo e de todos. Mas de si, não; pois foi a primeira pessoa que me disse estar a ponto de inventar o moto contínuo, invenção que naquele tempo andava muito em moda, mais ou menos como, hoje, as aventuras espaciais.
Edmundo estava sempre em guarda contra os adultos: eram os nossos permanentes adversários. Só diziam mentiras. Tinham a força ao seu dispor (representada por várias formas de agressão, da palmada ao quarto escuro, passando por várias etapas muito variadas). Edmundo reconhecia a sua inutilidade de lutar; mas tinha o brio de não se deixar vencer facilmente.
Numa festa de aniversário, apareceu, entre números de piano e canto (ah! delícias dos saraus de outrora!), apareceu um mágico com a sua cartola, o seu lenço, bigodes retorcidos e flor na lapela. Nenhum de nós se importaria muito com a verdade: era tão engraçado ver saírem cinquenta fitas de dentro de uma só… e o copo d’água ficar cheio de vinho…
Edmundo resistiu um pouco. Depois, achou que todos estávamos ficando bobos demais. Disse: “Eu não acredito!” Foi mexer no arsenal do mágico e não pudemos ver mais as moedas entrarem por um ouvido e saírem pelo outro, nem da cartola vazia debandar um pombo voando… (Edmundo estragava tudo. Edmundo não admitia a mentira. Edmundo morreu cedo. E quem sabe, meu Deus, com que verdades?)

Texto extraído do livro “Quadrante 2”, Editora do Autor – Rio de Janeiro, 1962, pág. 122.

SESSÃO ABERTURA DE NOVELA - A CONQUISTA

A novela A Conquista foi apresentada pela TVE do Rio de Janeiro no ano de 1978.
Infelizmente, não conseguimos identificar a música utilizada na abertura.
As poucas informações sobre essa obra televisiva podem ser encontradas no seguinte endereço: https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Conquista.
Se algum de nossos leitores tiver alguma informação sobre essa telenovela, favor entrar em contato conosco pelo e-mail citado em nosso blog.
Boa diversão!

video