quinta-feira, 31 de agosto de 2017

SESSÃO LEITURA - EMPREGADAS - FERNANDO SABINO

O texto abaixo é de autoria de Fernando Sabino.
Para maiores informações sobre o autor, favor acessar: https://www.ebiografia.com/fernando_sabino/.
Boa leitura!

EMPREGADAS

Desavença

Entre outras virtudes, as novelas de televisão têm a de enriquecer com novas expressões o vocabulário das empregadas. Só porque a patroa riscou três fósforos para acender o gás e em seguida atirou-os ao chão, a cozinheira exclamou:
– A senhora não devia fazer assim! Por causa disso ainda acaba provocando uma desavença no lar.
Como a patroa não entendesse e pedisse explicações, a cozinheira esclareceu o que parecia óbvio:
– Então isso não pode causar um incêndio?

Falar difícil

A empregada de um amigo meu tem mania de falar difícil. Está preparando o enxoval da filha e assegura a todos, com firmeza, que sua filha não se casará enquanto não estiver completamente enxovalhada.
Comentário dela, extasiada diante de um buquê de flores que a patroa trouxe da feira:
– Ah, mas que flores mais bonitas! Tão sinceras! Tão disfarçadas!
Outro dia, o gato da casa começou a se esfregar em suas pernas, ela o espantou com um gesto:
– Chiba, gato, infalivelmente! Que gato exterior, meu Deus.

Os simples de coração

Foi buscar os óculos da patroa, a pedido desta, e depois perguntou, muito séria:
– Afinal de contas, a gente diz “ócris” ou “zócris”?
A empregada veio anunciar o almoço:
– Gente, tá na hora de murçá.
– Não é assim que se fala – corrigiu a patroa.
E ela, imperturbável:
– Eu sei que é “armuçá”. Mas eu quero falar murçá.

O tal da televisão

Ao chegar em casa, recebi o recado da empregada:
– Telefonou um moço para o senhor.
– Deixou o nome?
– Disse que era o tal da televisão.
Tenho vários amigos na televisão. Só a TV Globo está cheia deles. E os da Bandeirantes, da TV Educativa…
No dia seguinte, a mesma coisa:
– O tal da televisão tornou a telefonar.
– Se ligar de novo, pergunta o nome dele.
Da terceira vez, perdi a paciência:
– Eu não disse que era para perguntar o nome?
– Eu perguntei! – protestou ela. – Pois ele tornou a dizer que era o tal da televisão.
Cheguei a pensar se não seria alguém que eu tivesse chamado para consertar a televisão – que, aliás, estava em perfeitas condições.
Até que ele voltou a telefonar – só que desta vez eu estava em casa:
– O tal da televisão está chamando o senhor no telefone.
Fui atender. Era o meu amigo Dalton Trevisan.

Come e dorme

E minha amiga Glória Machado me conta que recebeu da empregada o seguinte recado:
– Seu doutor Alfredo telefonou dizendo que vai levar a senhora com ele hoje de noite no come e dorme.
Deixa o Alfredo falar! Ela sabia que o marido é surpreendente e dele tudo se espera – mas não a este ponto. Come e dorme! Que diabo vinha a ser aquilo?
Só foi entender quando mais tarde ele voltou do trabalho. Na realidade a convidava para um excelente programa: assistir naquela noite à apresentação no Rio da famosa orquestra de Tommy Dorsey.

Só uma vez

Uma amiga me conta o que se passou com uma empregadinha sua, a quem um dia mandou que fosse à padaria comprar pão.
Algum tempo depois a moça apareceu grávida. Quando a patroa lhe perguntou quem tinha sido, informou:
– O padeiro.
– Mas você só foi uma vez à padaria! – estranhou a patroa: – Como foi acontecer uma coisa dessas?
Ela ergueu os ombros, com um suspiro:
– Deus quis…

SESSÃO ABERTURA DE NOVELA - A PADROEIRA (PRIMEIRA ABERTURA)

A novela A Padroeira foi apresentada pela Rede Globo no horário das 18h de 18 de junho de 2001 a 23 de fevereiro de 2002.
O tema musical da primeira abertura foi Santuário do Coração, interpretado por London Promenade Orchestra.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/a-padroeira/.
Boa diversão!

video


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

SESSÃO SAUDADE - ORESTES BARBOSA

Nossa homenagem da semana vai para outro grande compositor de nossa música: Orestes Barbosa.



Muitas canções de versos extremamente bem feitos e marcantes, essa foi a contribuição de Barbosa para o cancioneiro da canção popular brasileira.
Basta dizer que Manuel Bandeira, grande mestre da poesia brasileira, dizia que o verso mais bonito da música tupiniquim era de nosso homenageado: “Tu pisavas nos astros distraída”.
Obrigado, Orestes Barbosa, pelos momentos de pura poesia que nos legou em suas composições!
Descanse em paz!
Para saber mais sobre esse artista, favor acessar: dicionariompb.com.br/orestes-barbosa.
Com o objetivo de homenageá-lo, reproduzimos abaixo dois de seus grandes sucessos: o antológico Chão de Estrelas, na voz de Sílvio Caldas, e Serenata, interpretado por Nelson Gonçalves.

PRIMEIRO VÍDEO

video


LETRA

CHÃO DE ESTRELAS

Composição de Orestes Barbosa e Sílvio Caldas

Minha vida era um palco iluminado
Eu vivia vestido de dourado
Palhaço das perdidas ilusões
Cheio dos guizos falsos da alegria
Andei cantando a minha fantasia
Entre as palmas febris dos corações

Meu barracão no morro do Salgueiro
Tinha o cantar alegre de um viveiro
Foste a sonoridade que acabou
E hoje, quando do sol, a claridade
Forra o meu barracão, sinto saudade
Da mulher pomba-rola que voou

Nossas roupas comuns dependuradas
Na corda, qual bandeiras agitadas
Pareciam um estranho festival
Festa dos nossos trapos coloridos
A mostrar que nos morros mal vestidos
É sempre feriado nacional

A porta do barraco era sem trinco
Mas a lua, furando o nosso zinco
Salpicava de estrelas nosso chão
Tu pisavas nos astros, distraída
Sem saber que a ventura desta vida
É a cabrocha, o luar e o violão.


SEGUNDO VÍDEO

video


LETRA

SERENATA

Composição de Orestes Barbosa e Sílvio Caldas

Dorme, fecha êste olhar entardecente,
Não me escutes, nostálgico, a cantar
Pois não sei se feliz ou infelizmente
não me é dado, beijando, te acordar
Dorme, deixa os meus cantos delirantes
Dorme, que eu olho o céu a contemplar
a lua que procura diamantes
para o teu lindo sonho ornamentar
Na serpente de seda dos teus braços
alguém dorme, ditoso, sem saber
que eu vivo a padecer
E o meu coração feito em pedaços
vai sorrindo ao teu amor
mascarado dessa dor
No teu quarto de sonho e de perfume
onde vive a sorrir teu coração
que é teatro da ilusão
dorme junto a teus pés o meu ciúme
enjeitado e faminto como um cão.

SESSÃO HUMOR

Numa aula de boas maneiras, a professora argumentava com seus alunos:
- Joãozinho, suponhamos que fomos convidados para almoçar na casa de um amigo. Acabado o almoço, o que devemos dizer?
Diz o menino:
- Cadê a sobremesa?

terça-feira, 29 de agosto de 2017

SESSÃO REMAKE MUSICAL - CHORO - ALTAIR CHACHÁ

A canção Choro, originalmente interpretada por Fábio Júnior, é apresentada no vídeo abaixo por Altair Chachá.
Boa diversão!

video


LETRA

CHORO

Tem hora que bate
Uma tristeza tão grande
Que eu não sei o que fazer
E nem pra onde ir
É tanta coisa
Que eu queria dizer
Mas não tem ninguém pra ouvir
Então choro sem ninguém ver
Eu choro
Faço o possível pra segurar a cabeça
Mas a emoção não quer
Que eu me desfaça
Ou então que eu esqueça
Do amor daquela mulher
E eu choro
Sem ela saber
Eu choro

Choro por tudo
Que a gente não teve
Por tudo que a gente não realizou
Choro porque eu sei que ainda te amo
E você me amou e ama
Choro por tudo
Se assim for preciso
Choro porque eu sei que ainda te quero
Choro por tudo
E por tudo lhe digo

Te espero, te quero
Te espero, te quero
Te amo

SESSÃO TÚNEL DO TEMPO MUSICAL - CHORO - FÁBIO JÚNIOR

A canção Choro, interpretada por Fábio Júnior, fez parte da trilha sonora da trilha sonora da novela A Gata Comeu, apresentada pela Rede Globo no horário das 18h de 15 de abril a 19 de outubro de 1985.
Para maiores informações sobre a novela, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/a-gata-comeu/.
Boa diversão!

video


LETRA

CHORO

Tem hora que bate
Uma tristeza tão grande
Que eu não sei o que fazer
E nem pra onde ir
É tanta coisa
Que eu queria dizer
Mas não tem ninguém pra ouvir
Então choro sem ninguém ver
Eu choro
Faço o possível pra segurar a cabeça
Mas a emoção não quer
Que eu me desfaça
Ou então que eu esqueça
Do amor daquela mulher
E eu choro
Sem ela saber
Eu choro

Choro por tudo
Que a gente não teve
Por tudo que a gente não realizou
Choro porque eu sei que ainda te amo
E você me amou e ama
Choro por tudo
Se assim for preciso
Choro porque eu sei que ainda te quero
Choro por tudo
E por tudo lhe digo

Te espero, te quero
Te espero, te quero
Te amo

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

SESSÃO RETRÔ - VARIEDADES - NEUZA AMARAL

A reportagem abaixo foi publicada na revista Cartaz nr. 21, publicada em 27/07/72.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa diversão!


SESSÃO RETRÔ - NOVELAS - O CASARÃO - SÉTIMA PARTE

A reportagem abaixo é parte da revista portuguesa Plateia, publicada, provavelmente, em 1977.
A novela O Casarão foi apresentada pela Rede Globo no horário das 20h de 7 de junho a 11 de dezembro de 1976.
Para saber mais sobre essa novela, favor consultar: http://www.teledramaturgia.com.br/o-casarao/.
Na próxima semana tem mais!
Continuem acompanhando!
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!





sábado, 26 de agosto de 2017

PARA MEDITAR



SESSÃO FOTONOVELA - O CONTRABAIXO

A fotonovela abaixo pertence à revista Sétimo Céu nr. 181, publicada em abril de 1971.
Para ler esta ou outra matéria em tamanho maior, caso use o Explorer ou Chrome, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir link em uma nova guia". Na nova guia, clique com o botão esquerdo do mouse e, pronto, terá acesso a uma ampliação da página. Caso o navegador seja o Firefox, clique sobre a figura com o botão direito do mouse e selecione a opção "abrir em nova aba". Em seguida, proceda como no caso dos dois outros navegadores citados.
Boa leitura!








sexta-feira, 25 de agosto de 2017

SESSÃO CAPAS E PÔSTERES

A capa pertence à revista TV Intervalo nr. 453, publicada no ano de 1971.
Já o pôster à revista Contigo nr. 246, que foi às bancas em 17/02/78.
Boa diversão!



SESSÃO FOTO QUIZ

A foto da semana passada pertence ao apresentador de televisão e jornalista Goulart de Andrade.
Agora tentem descobrir quem é a garotinha da foto.
Eis algumas pistas:
1) Esta cantora e compositora, ainda viva, nasceu no interior da Bahia no ano de 1946.
2) Estreou em disco no ano de 1965.
3) Suas interpretações carregadas de emoção transformaram-na em uma das maiores cantoras de nossa música.
Boa diversão!


quinta-feira, 24 de agosto de 2017

SESSÃO LEITURA - O BARCO DE OURO - ORESTES BARBOSA

O autor do texto abaixo é o brasileiro Orestes Barbosa.
Para maiores informações sobre o escritor, favor acessar: enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa3200/orestes-barbosa.
Boa leitura!



SESSÃO ABERTURA DE NOVELA - AMÉRICA (PRIMEIRA ABERTURA)

A novela América apresentou uma guerra de bastidores entre autora e diretor original, Glória Perez e Jaime Monjardim, que fez com que a história tivesse três aberturas diferentes.
A primeira tinha como tema musical Órfãos do Paraíso, interpretado por Milton Nascimento e ficou durante poucos dias no ar.
A telenovela foi apresentada pela Rede Globo no horário das 21h de 14 de março a 5 de novembro de 2005.
Para maiores informações sobre a obra, favor acessar: http://www.teledramaturgia.com.br/america/.
Boa diversão!

video


LETRA

ÓRFÃOS DO PARAÍSO

Compositor: Marcus Viana

Órfãos do sonho Brasil
Busquem os restos nas sobras da vida
Nas cinzas da esperança
Nas brazas da chama que nunca apagou

Venham inventar um novo país
Colar pedaços de sonhos e amor

Basta de escuro
E espadas de Fogo

Que os Anjos nos abram os portões
Do paraíso

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

SESSÃO SAUDADE - PAULO SILVINO

Há alguns atores que parecem muito próximos a nós. Existe um sentimento inexplicável que promove essa união.
É o caso de nosso homenageado da semana: Paulo Silvino.
A história de Silvino na televisão é de grande beleza, já que nos doou durante anos sua alegria, que se tornou a nossa. Alegria regada a mil bordões que sempre sobreviverão em nossa memória sentimental.
Por isso, sempre recordaremos com imenso carinho da figura desse humorista.
Obrigado, Paulo Silvino, por ser mensageiro de alegria em nossas vidas!
Descanse em paz!
Para saber mais sobre esse artista, favor acessar: https://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Silvino.
Com o objetivo de homenageá-lo, apresentamos dois vídeos em que contracena com um de seus grandes parceiros, Jô Soares.

PRIMEIRO VÍDEO

video


SEGUNDO VÍDEO

video

SESSÃO HUMOR

O homem vai a uma cartomante para saber sobre seu futuro, pois algo o incomodava. Chegando no local a cartomante avisa:
— Sua sogra morrerá violentamente!
Ele prontamente responde:
— Serei preso?

terça-feira, 22 de agosto de 2017

SESSÃO REMAKE MUSICAL - BLUE GARDENIA - DINAH WASHINGTON

A canção Blue Gardenia, orginalmente interpretada por Nat King Cole, é apresentada no vídeo abaixo por Dinah Washington.
Boa diversão!

video


LETRA

BLUE GARDENIA

Blue Gardenia
Now I'm alone with you
And I am oh so blue
She has tossed us aside
And like you, gardenia
Once I was near her heart
After the teardrops start
Where are teardrops to hide

I lived for an hour
What more can I tell
Love bloomed like a flower
Then the petals fell
Blue gardenia
Thrown to a passing breeze
But rest in my book
Of mem-or-ries

I lived for an hour
What more can I tell
Love bloomed like a flower
Then the petals fell
Blue gardenia
Thrown to a passing breeze
But rest in my book
Of mem-or-ries


TRADUÇÃO

GARDENIA AZUL

Agora estou só com você
E eu estou tão triste
Ela nos jogou de lado
E como você, gardênia
Uma vez eu estive perto do seu coração
Depois que as gotas de lagrimas começaram
Onde há gotas de lagrimas para esconder

Eu vivi por uma hora
O que mais posso dizer
O amor floresceu como uma flor
Daí as pétalas caíram
Gardênia azul
Jogada numa brisa passageira
Mas restou no meu livro
De re-cor-da-ções

Eu vivi por uma hora
O que mais posso dizer
O amor floresceu como uma flor
Daí as pétalas caíram
Gardênia azul
Jogada numa brisa passageira
Mas restou no meu livro
De re-cor-da-ções

Fonte com adaptações: https://www.letras.com.br/nat-king-cole/blue-gardenia/traducao-portugues